Cidade do Samba: bastidores das escolas franqueados ao público

  • Icon instagram_blue
  • Icon youtube_blue
  • Icon x_blue
  • Icon facebook_blue
  • Icon google_blue

Visitantes poderão conhecer os 14 barracões das agremiações.

POR Redação SRzd04/09/2006|2 min de leitura

Cidade do Samba: bastidores das escolas franqueados ao público
| Siga-nos Google News

A Cidade do Samba, na Gamboa, zona portuária do Rio de Janeiro, local que abriga as peças principais de um dos espetáculos mais bonitos e conhecidos do mundo, o Carnaval carioca, foi aberta oficialmente ao público nesta segunda-feira.

Ao entrar na “cidade”, os visitantes se surpreendem com uma verdadeira fábrica de sonhos do samba. São 14 barracões, cada um com um prédio de três pavimentos e com um pátio interno de 12 metros de altura que permite a construção de oito carros alegóricos simultaneamente. Há ainda um prédio administrativo, praça central equipada com duas lonas culturais ‘ uma para espetáculos e outra para exposições, lanchonetes, banheiros públicos e estacionamento.

Além das fábricas de samba (barracões), a Cidade do Samba dispõe de atividades culturais permanentes, como rodas de compositores, grupos de passistas e baterias, shows com grandes atrações uma vez por mês, grupos de pagode, pequenas apresentações com mestre-sala e porta-bandeira e ensaios carnavalescos.

Cariocas têm desconto no ingresso

O local funciona diariamente das 12h às 20h, com ingressos a R$ 20. Moradores da cidade do Rio de Janeiro, com apresentação de comprovante de residência, pagam apenas R$ 10 para visitação. És quintas-feiras, o horário de visitação é das 12h às 18h e, a partir das 19h, por R$ 80, o visitante poderá ver um show de Carnaval. Será um minidesfile, com mulatas, passistas, bateria e intérprete, que permitirá aos espectadores sentir um pouco da emoção que se tem no Carnaval, na Passarela do Samba.

A Cidade do Samba já vinha sendo utilizada desde setembro do ano passado para uso exclusivo das Escolas de Samba do Grupo Especial. Ela ocupa um terreno de 114 mil metros quadrados, numa área que pertencia à Rede Ferroviária e foi comprada pela Prefeitura. A escolha da Zona Portuária para sediar a Cidade do Samba tem razão de ser, pois foi lá que nasceu o samba carioca.

Notícias Relacionadas

Ver tudo