Tráfico de animais silvestres é o terceiro mais lucrativo do mundo

  • Icon instagram_blue
  • Icon youtube_blue
  • Icon x_blue
  • Icon facebook_blue
  • Icon google_blue

População do Rio de Janeiro pode ajudar a combater o crime através de denúncia.

POR Redação SRzd06/09/2006|2 min de leitura

Tráfico de animais silvestres é o terceiro mais lucrativo do mundo
| Siga-nos Google News

O Instituto Estadual de Florestas (IEF), órgão responsável pela execução da política florestal e de conservação dos recursos naturais renováveis do Estado do Rio de Janeiro, solicita que a população fluminense denuncie irregularidades ou crimes contra o meio ambiente. Assim, ajuda no combate aos atos criminosos frequentemente cometidos contra a biodiversidade do Rio, como tráfico de animais e desmatamentos.

O IEF já realizou 401 apreensões este ano. As ações do IEF são tanto investigativas e repressivas como de orientação, coibindo práticas ilegais como caça, tráfico de animais silvestres, pesca predatória, coleta de plantas ornamentais (bromélias, orquídeas, helicônias etc.), desmatamentos e queimadas.

Tráfico lucrativo

Segundo o governo do estado, o tráfico ilegal de animais silvestres é considerado o terceiro mais lucrativo do mundo, perdendo apenas para drogas e armas. A prática é julgada como crime ambiental e está prevista na Lei 9.605, de 1998. A pena para o crime é de um a três anos de reclusão e multa de R$ 500 a R$ 5 mil por animal. Nas operações do IEF e da DPMA (Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente) já foram apreendidas várias espécies em extinção, como curió, bicudo, chanchão, cigarrinha verdadeira, patativa, cardeal e pixoxó.

Os animais apreendidos são enviados para o centro de triagem do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) no Estado do Rio, que fica em Seropédica, na Baixada Fluminense. Lá, eles recebem tratamento médico veterinário e alimentação. Depois de recuperados, os que estiverem em boas condições de readaptação são reintegrados à natureza e os outros são encaminhados para criadouros ou zoológicos.

As denúncias devem ser feitas ao IEF pelos telefones (21) 2244-3872 e (21) 3890-0010; por escrito, para a sede do órgão, que fica na Avenida Presidente Vargas 670,18º andar, Centro do Rio ‘ CEP 20071-001 -, e ainda pelo site www.ief.rj.gov.br.

Notícias Relacionadas

Ver tudo