POLÍTICA: Oposição quer ligar Governo Lula à máfia dos Sanguessugas

  • Icon instagram_blue
  • Icon youtube_blue
  • Icon x_blue
  • Icon facebook_blue
  • Icon google_blue

Corrupção parlamentar é combustível para a campanha eleitoral.

POR Redação SRzd20/07/2006|2 min de leitura

POLÍTICA: Oposição quer ligar Governo Lula à máfia dos Sanguessugas
| Siga-nos Google News

O presidente da Câmara, deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), afirmou nessa quarta-feira que aguarda receber, oficialmente, a denúncia contra 56 deputados da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas. Um é senador, líder do PMDB, Ney Suassuna (PB). Aldo disse que quando receber a denúncia vai convocar o Conselho de Ética e os líderes partidários para discutir que providências a Casa vai tomar.

‘Vou aguardar que a CPMI envie formalmente à Mesa Diretora a denúncia com todos os indícios que conseguir reunirâ?, afirmou o presidente da Câmara, referindo-se aos colegas acusados de fazerem parte da Máfia das Ambulâncias. Aldo Rebelo acredita que as eleições deste ano não atrapalharão as investigações.

PRESIDENTE DA CPMI FICA IMPRESSIONADO

O presidente da CPMI dos Sanguessugas, deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), disse que são ‘impressionantesâ? os detalhes do depoimento do empresário Luiz Antônio Trevisan Vedoin à Justiça de Mato Grosso. Luiz Antônio é sócio com o pai, Darci Vedoin, na Planam, a empresa principal do esquema criminoso de roubo de dinheiro público no superfaturamento do preço de ambulâncias.

‘Tem detalhes impressionantes. Se tudo for comprovado, é um esquema imenso e que vai responsabilizar outros parlamentares. Mesmo assim, tudo que ele falou precisa ser comprovado por documentosâ?, disse Biscaia. O empresários aponta o envolvimento de 90 parlamentares e dez ex-parlamentares na máfia.

OPOSIÉÉO ENVOLVE GOVERNO NA MÁFIA DAS AMBULÉNCIAS

A oposição não se conforma com a ausência de petistas na lista dos 57 parlamentares investigados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pela CPMI dos Sanguessugas. Mesmo que a maioria seja aliada do Palácio do Planalto.Os oposicionistas, então, vendem o argumento de que um esquema tão grande de corrupção não ocorreria sem a participação do governo.

‘O PT está no Poder Executivo. Não se pode realizar uma operação desse tamanho sem o Executivoâ?, afirmou o prefeito do Rio, César Maia (PFL).
No PSDB, o candidato do partido ao governo de São Paulo, José Serra, defendeu a expulsão dos três deputados tucanos que aparecem na lista. São Itamar Serpa (RJ), Paulo Feijó (RJ) e Eduardo Gomes (TO).

Notícias Relacionadas

Ver tudo